IR 2023: saiba quem precisa declarar

Publicidade

De fato, o IR 2023 é uma tributação que incide sobre a renda e os proventos de contribuintes, tanto pessoas físicas quanto jurídicas, e sua declaração é realizada anualmente. 

É essencial compreender as regras e os critérios estabelecidos pela Receita Federal para saber se você se enquadra entre os contribuintes que necessitam declarar. 

Por isso, neste texto, explicaremos os principais pontos relacionados à declaração do IR 2023

Publicidade

Acompanhe para saber mais!

Quem precisa declarar o IR 2023?

IR 2023 
IR 2023  Fonte: Canva Pro

Em suma, as dúvidas acerca de quem é obrigado a entregar a declaração do Imposto de Renda são comuns entre os cidadãos. 

De fato, esse imposto é destinado a um grupo específico de contribuintes, servindo como instrumento de fiscalização dos rendimentos e lucros obtidos por estes indivíduos.

Publicidade

A declaração, disponibilizada pela Receita Federal e a ser preenchida pelo contribuinte, é analisada pelo órgão para verificar as informações e tributações efetuadas sobre a pessoa. 

De fato, se houver pagamento em excesso, ocorrerá a restituição do IR 2023; caso contrário, será necessário quitar a pendência e regularizar a situação junto à Receita.

O formulário empregado nesse processo é a Declaração de Ajuste Anual. Antigamente, a declaração deveria ser realizada somente em locais especializados em contabilidade. 

Hoje em dia, o próprio portal disponibiliza um software que permite ao contribuinte preencher a declaração no conforto de seu lar.

Ao declarar o IR 2023, é fundamental informar todos os gastos, lucros e ganhos do titular e de sua família, incluindo despesas com educação, saúde, instituições de ensino, investimentos e aquisições. 

A omissão dessas informações pode resultar em prejuízos para o declarante, pois a Receita Federal pode interpretar como uma tentativa de fraude ao sistema.

Publicidade

Veja a seguir os contribuintes que são obrigados a declarar:

  • Aqueles que receberam mais de R$ 28 mil;
  • Indivíduos com atividades rurais e renda anual superior a R$ 142 mil;
  • Investidores na bolsa de valores;
  • Quem adquiriu imóveis com valor acima de R$ 300 mil;
  • Estrangeiros com ganhos no Brasil;
  • Pessoas que receberam auxílio emergencial e tiveram renda anual maior que R$ 22 mil.

Declaração simples ou completa? Qual fazer?

De fato, a modalidade Simplificada da Declaração é voltada para aqueles contribuintes que tiveram despesas reduzidas no ano anterior. 

Neste caso, é aplicada automaticamente uma dedução de 20% nos rendimentos tributáveis. Com um limite de R$ 21.453,24, o que significa renunciar a todas as deduções possíveis, incluindo aquelas relacionadas a gastos com educação e saúde.

Caso o contribuinte não tenha obtido rendimentos tributáveis no ano anterior, ele pode escolher entre os modelos de declaração, uma vez que não haverá imposto a ser pago nem restituído.

Em suma, para optar pela tributação baseada no “Desconto Simplificado”, o contribuinte deve preencher a declaração como de costume. Após inserir todos os dados, é necessário clicar na opção “Opção pela Tributação” no menu à esquerda do programa. 

Nesse momento, o contribuinte pode selecionar a alternativa que resulte na menor “alíquota efetiva” do imposto, ou seja, aquela que gere um valor menor de imposto a ser pago ou um montante maior a ser restituído.

Dessa forma, o contribuinte pode comparar as vantagens e desvantagens de cada modalidade e, assim, decidir qual opção é mais benéfica para sua situação financeira, levando em consideração o menor imposto a ser pago ou a maior restituição a ser recebida.

Publicidade

Relacionados